Resenha Conectadas - Clara Alves





[mãos da Andrea Canal Fundo Falso]


Oi pessoal!!
Estou sumida há um tempinho e peço desculpas por isso. A vida como tia, escritora e trabalhadora tem me privado de ler com frequência e compartilhar com vocês as minhas leituras. Não prometo ser frequente novamente, mas prometo compartilhar sempre que eu ler algo que considere muito inspirador.

Conectadas
Autor: Clara Alves
Editora Seguinte
Sinopse:
Ser uma garota gamer não é fácil. Principalmente quando um romance está em jogo.
Raíssa e Ayla se conheceram jogando Feéricos, um dos games mais populares do momento, e não se desgrudaram mais ― pelo menos virtualmente. Ayla sente que, com Raíssa, finalmente pode ser ela mesma. Raíssa, por sua vez, encontra em Ayla uma conexão que nunca teve com ninguém. Só tem um “pequeno” problema: Raíssa joga com um avatar masculino, então Ayla não sabe que está conversando com outra menina.
Quanto mais as duas se envolvem, mais culpa Raíssa sente. Só que ela não está pronta para se assumir ― muito menos para perder a garota que ama. Então só vai levando a mentira adiante…
Afinal, qual é a chance de as duas se conhecerem pessoalmente, morando em cidades diferentes? Bem alta, já que foi anunciada a primeira feira de Feéricos em São Paulo, o evento perfeito para esse encontro acontecer.
Em um fim de semana repleto de cosplays, confidências e corações partidos, será que esse romance on-line conseguirá sobreviver à vida real?
Onde encontrar: Amazon

Descobri Concectadas na Bienal do Livro do RJ, por culpa da Andrea do Canal Fundo Falso. Ela conhece a minha história pessoal e sabia que eu compraria o livro na mesma hora. Assim que vi a capa e compreendi a trama, quase chorei no meio do estande da Submarino! Sim, eu também pago micos! Haha.
Comprado o livro, descobri que a autora era nacional e mais, que teria sessão de autógrafos no dia seguinte! É claro que aproveitei para autografar meu exemplar.




Raissa é uma garota de dezessete anos, vive em Sorocaba interior do estado de São Paulo e é maluca por jogos online. Devido a um desentendimento com outros jogadores, decide criar um perfil masculino na intenção de ser mais respeitada e jogar de igual para igual com os demais gamers. Percebemos que é um mundo bastante machista, pois os jogadores masculinos destratam as jogadoras e/ou as assediam. O que é inaceitável, concordamos.
Ayla também adora jogos e é quando loga em seu perfil que se sente aliviada das dores que a vida real lhe causa. Sem dar spoilers, ela vive um drama familiar que muitos de nós já passamos, passaremos ou vencemos em algum momento da vida. Seu crescimento pessoal é muito válido pra quem está tentando encontrar sua voz e descobrir como ser você mesmo sem agredir ao próximo. A palavra agredir parece forte aqui, mas a ideia é que quanto mais nos escondemos, mas irritadiços, mais tristes, mais deprimidos ficamos e com mais raiva do mundo ao nosso redor também, o que torna muitos de nós bombas prestes a explodir. A Ayla traz muito dessa visão de nós mesmos, nos obrigando a nos conhecer e nos analisar.
Amo histórias que me fazem refletir e, apesar de ser um livro teen, com uma trama mais leve, o foco traz lições importantes para os dias atuais. Ambas não sabem como se sentem emocionalmente, quais são as suas escolhas afetivas ou como suas famílias reagiriam a uma notícia de que talvez, quem sabe, elas gostem de meninas.
A Raissa ainda tem um problema pior nas mãos, Ayla a conhece como Leo e não sabe que é uma menina e por um acaso do destino, estão prestes a se conhecer em um evento para gamers na Capital.


Não importa se as pessoas vão se decepcionar. Se você não for verdadeira consigo mesma, a vida perde o sentido!


A Clara trabalhou também com um personagem que eu curti muito, o Léo, ele tem uma particularidade que prefiro que conheçam lendo, pois não gosto de dar spoiler, mas que pode ser interpretado erroneamente por quem não conhece as diversidades de cada ser humano.
Me reconheci muito nestes três personagens e também em suas famílias. Nossas crenças externas e não entendam como religião e sim o que aprendemos em nossas casas, com nossos amigos e familiares, muitas vezes nos impedem de enxergar a nós mesmos e Conectadas vem para abrir os olhos daqueles que ainda tem esta dificuldade.
Como eu disse, odeio spoilers, então deixarei este breve resumo. Espero que fiquem interessados assim como fiquei e me contem depois o que acharam.
Eu li em 5 dias! E só demorei porque estava na bienal, andando loucamente e com pouco tempo para pegar o livro.
No final do livro há uma entrevista com a autora e eu descobri que ela também teve fake no Orkut!! A minha história tem tudo a ver com o fake! Não posso compartilhar, mas isso me instigou mais ainda a conhecer o livro.
Bem, é isso! Espero que tenham curtido e que leiam!!
Obrigada Clara por toda a atenção que dispensou a mim por direct e também na Bienal, você é demais! Espero que nos encontremos mais vezes.

Até mais!!

Mari Scotti
Conheçam minhas redes sociais

1 comentários :

Deixe seu comentário! Ele me deixa muito feliz!