Resenha: Jogador n° 1





[Resenha] Jogador número 1

Oiii amores!
Não sei se fui a única a assistir esse filme sem ter lido o livro e, confesso, tenho ele no kindle há eras! Mas, venho aqui trazer a opinião de uma telespectadora.

Sinopse:
Num futuro distópico, situado em 2044, Wade Watts, como o resto da humanidade, prefere a realidade virtual do jogo OASIS ao mundo real. No jogo, seus usuários devem descobrir a chave de um quebra-cabeça diabólico, baseado na cultura do final do século XX, para conquistar um prêmio de valor inestimável. Para vencê-lo, porém, Watts terá de abandonar a existência virtual e ceder a uma vida de amor e realidade da qual sempre tentou fugir.
Elenco: Tye Sheridan, Olivia Cooke, Ben Mendelsohn
Duração: 140 min


Wade é um garoto que você fora da realidade, preferindo o jogo. Ele vive em uma comunidade de casas sobrepostas e durante o filme descobrimos que são as favelas do futuro. Nora com a tia, pois seus pais faleceram, mas a tia não é amorosa como se espera, ela da mais valor aos peguetes dela.
Ele encontrou em meio a um ferro velho ao ar livre, uma van e lá criou seu espaço para jogar. Ele tem tudo o que precisa para incorporar Percival, seu avatar.
Percival tem um único amigo no mundo virtual, o Arch e seu avatar é um homem enorme, que lembra gladiadores, diferente dele que é pequeno, descolado e tem jeitinho de nerd.
Arch tem mais dois amigos. O que os torna um quarteto.

Há cinco anos o criados do jogo Oasis faleceu e ele contou ao mundo que deixou escondido em seu mundo virtual 3 chaves e 1 ovo e que quem encontrasse primeiro se tornaria o dono do jogo.
A corrida para encontrar esses ícones continua, porém como ninguém encontrou algo ainda, continuam na luta apenas uma empresa IOI que quer ser a primeira do mundo e alguns gamers apaixonados pelo criador e criação.
Os quatro estão entre esses gamers e também Art3mis paixão do Percival.

É com uma dica dela que Percival descobre a primeira chave e a loucura começa!

Eu não esperava tanta ação no filme e fiquei com os olhos pregados na tela todo o tempo! O Percival parece amadurecer durante a história, encarando como o mundo virtual se reflete no real, principalmente quando começa a ser perseguido por ser o primeiro a encontrar uma chave.

Confesso que pensei que era uma série e fiquei esperando mais quando o filme acabou. Mais porque estamos acostumados a tudo ser série hoje em dia hahaha.

Recomendo a todos! A trilha sonora é os efeitos especiais estão de tirar o fôlego.

Agora me resta ler o livro para descobrir o que eu perdi.

Beijos. MARI


0 comentários :

Postar um comentário

Deixe seu comentário! Ele me deixa muito feliz!